Eu recosto-me na minha cadeira e ponho um cigarro nos lábios para calar o meu monólogo. Resolvo pensar em forma de palavra escritas e chego-me ao teclado.
Quarta-feira, 22 de Fevereiro de 2006
A Distante

Totem 1.jpg O som profundo e doce da tua distância ecoa nos meus sentidos, toca nas minhas acções mais fúteis com o sentimento de um mensageiro divino. Eu recosto-me na minha cadeira e ponho um cigarro nos lábios para calar o meu monólogo. Reajo á minha reflexão de forma  especulativa  e vejo o tempo liquefeito  numa chuva  imaginária que me leva também. Decido afogar-me em histórias que teço, delírios imaginados na inércia. Em frente ao totem que criei de ti: a minha oração levanta voo.



publicado por Blogarto às 23:42
link do post | comentar | favorito
|

1 comentário:
De Anónimo a 22 de Fevereiro de 2006 às 23:58
Dá-lhe asas...vitor
(http://www.irreal.blogs.sapo)
(mailto:paralisado@hotmail.com)


Comentar post

mais sobre mim
pesquisar
 
Abril 2006
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
10
11
13
15

16
17
18
19
20
21
22

23
24
25
26
27
28
29

30


posts recentes

Escrever

Ácido Dócil

Estrada

Noite

O Tornado

A Distante

Pactos

Uivos de silêncio profund...

Requiem para um amor

blogs SAPO
subscrever feeds