Eu recosto-me na minha cadeira e ponho um cigarro nos lábios para calar o meu monólogo. Resolvo pensar em forma de palavra escritas e chego-me ao teclado.
Sábado, 25 de Fevereiro de 2006
Noite

noite.jpg

Noite, suave sangue de azul escuro que me cobre os sentidos

Em ti vejo os mais latos deuses e os pais da tragédia humana

Noite de calmos encantos avança nos meus olhos de bruma

Cobre a minha insónia e com os teus lábios devora-me o beijo

 

Noite assassina da minha sanidade, jasmim de cheiro perfumado, gema de rubi

Embala-me na tua alquimia e agregar-me a ti, aqui me tens no teu colo de fêmea

Noite cúmplice e companheira, morre a tua face em detalhes de esmeralda e lua

Clama no silêncio ao teu filho de glória liberta-me os poderes do meu orgulho frio

 

Noite mãe da candidez e pecado, hora final do nosso mistério arrebatado ao céu

Meia deusa, meia minha, voz quente e fatal, ninfa que embala a lassidão do sol

Noite ouve a minha prece, leva-me no teu canto de rapina á tua doce consciência

Celebra o meu corpo na tua alma e abraça-me no teu conhecimento alvo e místico

 

Noite, suave sangue de azul escuro que me cobre os sentidos

Em ti vejo os mais latos deuses e os pais da tragédia humana

Noite de calmos encantos avança nos meus olhos de bruma

Cobre a minha insónia e com os teus lábios devora-me o beijo

 

Noite último reduto do meu ser, corvo negro de bico de cristal, cabelos em dança

Vem, quero ver a tua sombra no meu jardim sentir teu sopro de fauna em meu leito

Noite amante e esconderijo onde me entrego, metamorfose da tua face em azul escuro

Amor tu que trazes a noite a meus olhos, a ti que amo e me cedo... baptizo-te de: Noite



publicado por Blogarto às 00:19
link do post | comentar | favorito
|

1 comentário:
De Anónimo a 5 de Março de 2006 às 23:47
A noite... simples ausencia do dia... a escuridao ... simples ausencia de luz...

O que provoca a noite, que alterações provoca nos nossos sentidos... deixamos de ver... entramos no desconhecido... ai como tememos o desconhecido e a nossa mente começa a vaguear e entramos na ilusão, inventamos tudo e mais alguma coisa, depois chega o medo, a luxuria, e chegamos a amar o escuro que se transforma no mais intimo desejo, que arde dentro do nosso ser enos faz viver.
Gostei muito, mas deixa o tabaco o fumo provoca a escuridão e poe o nosso olhar turbo e alguns dos nossos orgãos escuros de doença o que nos pode antecipar a escuridaõ total e o apagar da luz da nossa vida.
toto abreu
</a>
(mailto:)


Comentar post

mais sobre mim
pesquisar
 
Abril 2006
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
10
11
13
15

16
17
18
19
20
21
22

23
24
25
26
27
28
29

30


posts recentes

Escrever

Ácido Dócil

Estrada

Noite

O Tornado

A Distante

Pactos

Uivos de silêncio profund...

Requiem para um amor

blogs SAPO
subscrever feeds